19 de julho de 2011

Antes & Depois . Parte 2 | Before & After . Part 2



Este é o resultado final do móvel apresentado a semana passada. Vou partilhar convosco a minha experiência e observações. 
Fiquei bastante contente com o resultado final deste Refresh.



Materiais e ferramentas
Lixas;
Lixadeira eléctrica;
Betume para madeira;
Fita-cola de papel;
Trincha de cerda;
Rolo de lacar;
Trapos.

Produtos aplicados (da esquerda para a direita)
Anti-caruncho Cuprinol da Robbialac;
Tinta – Les Décoratives da gama Charme, cor champanhe;
Protector – Les Décoratives, de elevada resistência;
Cera de Patinar – Lakeone, cor mogno.

A transformação
O móvel aparador/cristaleira foi transformado em biblioteca.
Retirei todas as portas e ferragens e substituí as prateleiras internas de aglomerado por prateleiras de vidro.
Por dar maior dimensão ao móvel mantive o espelho interior.
Como o móvel tem 45 mm de profundidade, consegui guardar livros em duas fileiras, para além dos cds, dvds e vinis.

Seguindo Passo a Passo
O mais importante no trabalho de renovar móveis, é preparar bem a peça. É nesta fase que toda a nossa paciência e dedicação é compensada com um bom resultado final. A superfície do móvel precisa de estar porosa e limpa para receber a tinta.

1. Decidir qual o resultado final que queremos obter
Neste caso, optei por aplicar uma tinta opaca e dar um desgaste com lixa nas arestas e relevos, de modo a dar uma personalidade de “usado” ao móvel. Razão pela qual não apliquei tinta primária.

2. Lixar e Limpar
O móvel apresentado no artigo anterior está protegido por um verniz antigo, que ao longo do tempo tornou a peça amarelada. É essencial lixar todas as superfícies no sentido dos veios da madeira, não só para retirar o verniz antigo como também para a tinta poder agarrar à superfície.
Lixei as faces do móvel com a lixadeira e folhas n.º 120 e usei esta lixa esponja n.º 100 da Wolfcraft nas zonas de difícil acesso.
Tapei todos o buracos das ferragens e zonas de desníveis ou imperfeições com um betume para madeira, utilizei a espátula para aplicar e lixei para uniformizar a superfície.
Depois de lixar, com o aspirador removi todo o pó e limpei com um pano humedecido em água todo o móvel. Este passo é crucial para um bom desempenho da pintura, pois o pó poderá tingir a tinta, principalmente se é para aplicar um tom claro.

3. Proteção da madeira contra insectos xilófagos
Depois do móvel estar limpo e totalmente seco, apliquei com uma trincha larga o anti-caruncho Cuprinol da Robbialac, que serve para erradicar e prevenir o caruncho e térmitas na madeira. Convém aplicar mais que uma de mão, para garantir que a madeira fique bem impregnada.

4. Proteger com fita as zonas a não pintar
Com a fita cola de papel tapei os limites das zonas que não queria pintar.
Tomei a decisão de não pintar o tampo do móvel para tirar partido do desenho do folheado.

5. Pintar
Como foi a primeira vez que utilizei esta marca de tintas, comecei por testá-la na parte traseira do móvel para conhecer a textura da tinta.
É uma tinta aquosa mate com efeito empoado.
Utilizei uma trincha de cerda n.º 40 em aplicações finas na primeira camada e sem fazer muita força com a trincha. Como o interior do móvel é em contraplacado, a madeira absorveu muita tinta e tive a necessidade de aplicar a terceira camada. Pintei igualmente o frontão.

6. Provocar o desgaste
Para provocar um desgaste nas arestas e nas zonas de relevo, utilizei uma lixa de água. Estrategicamente fui lixando as zonas que me pareciam mais expostas ao desgaste; os alto relevos, as arestas e os canto mais salientes.
Em algumas zonas não gostei do resultado final, voltei a pintar, deixar secar e lixei de novo até obter o resultado desejado.

7. Proteger a tinta
Para que a superfície do móvel possa ser lavável e resistir às manchas, apliquei com um rolo de lacar o Protector Acetinado de alta resistência da marca Les Décoratives.
É diluído em 5% de água (duas colheres de sopa para 500 ml) e a aplicação tem de ser rápida, para evitar as marcas de sobreposição. Mais uma vez comecei por aplicar em zonas de teste não visíveis do móvel. Como a tinta utilizada era muito clara, notei um ligeiro amarelecimento da superfície, o que acabou por dar ao móvel um ar ainda mais “usado”.
Para exemplo: este produto depois de algum tempo no recipiente de tintas que utilizei, parecia uma película com toque de silicone que rapidamente endureceu quando totalmente seco.

8. Acabamento final no tampo
A ideia inicial era pintar todo o móvel, pensei que no entanto seria uma pena perder o desenho do folheado e por isso decidi manter o original. Optei por aplicar uma cera de patinar cor de mogno, que para além de proteger dá á madeira uma textura natural, ao contrário do que acontece com o verniz.
Apliquei uma demão com trincha e sem deixar secar apliquei uma segunda. Esperei que a madeira absorvesse, e cerca de 30 minutos depois retirei os excessos e puxei o lustre com uma boneca de trapos de forma suave mas enérgica. Finalmente, para dar maior brilho á madeira lustrei com uma escova para lustre. Esta proteção de cera requer alguma manutenção, deverão ser feitas novas aplicações assim que a madeira apresentar um aspecto seco e sem brilho.

Conselho:
Aconselho a pintar as costas do móvel da mesma cor e aplicar também o Protector, para além de proteger a superfície, o móvel poderá ser utilizado para dividir o espaço numa sala.
No meu caso, e porque o móvel vai ser usado encostado a uma parede e para evitar fungos e odores, apliquei este verniz cor de mogno.


Aqui fica o exemplo de como uma peça de mobiliário pode ser aproveitada e transformada. Fico a aguardar comentários, questões e opiniões :)

5 comentários:

Paulo Costa disse...

Gostei do resultado final! O contraste do branco com o tampo está óptimo, vi ao vivo e a madeira tem uma alma nova.
Bom trabalho.

Anónimo disse...

O resultado está óptimo só que pelos vistos levou mais do que uma camada de tinta e não uma cono é indicado.

Anónimo disse...

O resultado ficou óptimo. Mas pelos vistos levou mais de uma camada de tinta para obter este resultado e não ter levado primário. A minha pergunta é: esperou 20 minutos conforme indicado para poder fazer o desgaste de uso? Obrigada. Sofia

Adriana Arrigada disse...

Olá Sofia,
Obrigada pelo se comentário.
Tal como indiquei no ponto 5, apliquei mais de 1 camada em todo o móvel, em algumas partes do móvel apliquei 3 camadas, no caso das partes em contraplacado.
Optei por não utilizar primário, porque retirei todo o verniz antigo lixando o móvel. Assim a tinta adere com muita facilidade a uma madeira que está em bruto.
Para fazer o desgaste esperei que a tinta secasse durante a noite.
Terei muito gosto em comentar qualquer outra questão.
Bom refresh!

Maria de Lurdes Bernardo disse...

BOA TARDE!
Comprei ontem tinta les decoratives e tive a experimentar numa porta interior do movel de carvalho.
Nao gostei de ver, a tinta que comprei é mate e esta muito baça.Será que dando o acabamento ficara com um brilhozinho? A tinta é cinza, e achei muito escura depois de aplicada,. Posso juntar um pouco de tinta creme da marca luxens ? por favor, preciso de um conselho
muito obrigado

Enviar um comentário